AGRESSIVIDADE EM GATOS

 

Muitos gatos adultos apresentam comportamentos de agressividade dirigidos a alvos em movimento, como os pés e as mãos dos donos, que apesar de poder ser considerado um comportamento normal torna-se bastante incomodativo e doloroso.

Esta agressividade, denominada por agressividade por brincadeira, evoluiu do comportamento do gatinho, que não foi corretamente inibido pela progenitora (na maioria das vezes porque não permanece o tempo suficiente na sua companhia e dos irmãos de ninhada) ou porque foi um comportamento permitido e incentivado pelo tutor.

Para evitar este tipo de agressividade os donos devem habituar o gatinho a:

 

1) Nunca brincar com as suas mãos e pés

Não o acostume de pequeno a brincar (de brigar) com suas mãos.

Gatos brincam com seus irmãozinhos de ninhada e aprendem os limites com a mãe-gata.

Mas gatinhos têm pele grossa e pelo – e suas mãos só tem uma pele muito fininha!!!

MORDER MÃOS

Se o gato estiver no seu colo e passar de carinhos a mordidas, diga NÃO, esconda as mãos atrás das costas.

Se ele insistir, levante-se devagar (para que ele pule do colo) e mude de lugar. E repita a mudança de lugar se for necessário.

Nunca afaste o gato de você; nunca o retire de seu colo; afaste-se dele.

Logo ele perceberá que esse comportamento de morder suas mãos não agrada – já que ele perde o conforto do colo.

DAR BOTES NOS PÉS

Normalmente o gato se esconde em algum canto para dar botes. Isso é brincadeira de gatos entre si e não deve ser tolerado por humanos pois acabam se machucando.

Coloque caixas ou banquinhos nos locais onde o gato costuma se esconder para dar os botes nas pernas e pés.

Ande com uma fita e arraste-a pelo chão para que o gato brinque de perseguir o objeto.

 

2) Dar Brinquedos e Enriquecer o Ambiente

O ideal será ensinar o gatinho a brincar com brinquedos em movimento, como pompons de lã que se puxam, varinhas de pesca com bonecos suspensos, bolinhas, caixas de papelão…

O gatinho deve viver num ambiente estimulante, onde tenha sido realizado um enriquecimento ambiental, que consiste em tornar o ambiente o mais semelhante possível ao ambiente em que o gato viveria na natureza.

Para isso deve ter plataformas para onde possa saltar, aumentando o espaço tridimensional, objetos pendurados e brinquedos que o estimulem o olfato – como, por exemplo, brinquedos escondidos que contenham cat-nip (erva gateira); brinquedos onde possam ser colocados pedacinhos de comida que vão caindo ao serem movimentados.

É preferível colocar poucos objetos de cada vez e trocá-los com frequência para manter o interesse do gato.

 

3) Acostume-o a ser manipulado quando é pequeno

Apesar de se dever respeitar sempre o limite de tolerância à manipulação de cada gato, é importante que nos primeiros meses ele seja manipulado (mexido, escovado, que se limpem os olhos, os ouvidos, se cortem as unhas etc.), para que na fase adulta isso seja possível de fazer.

—–

VEJO VÍDEO sobre AGRESSIVIDADE EM GATOS ADULTOS

Dra. Cristina Correia, licenciada em Psicologia e Mestre em Comportamento Animal – bichosebichos.com

http://www.youtube.com/watch?v=4vMCbCgBK4k

 


 

AGRESSIVIDADE DE FILHOTES,

ENTRE GATOS E COM PESSOAS

 

Agressividade em Filhotes

A agressividade nos filhotes, geralmente é sob a forma de “brincar de brigar“, uma preparação para futuros combates reais.
Essa agressividade, normalmente, é dirigida aos irmãos de ninhada.

Se o gatinho morde o outro com força, ele irá receber a mesma mordida de volta, e os irmãos podem parar de brincar com ele, como forma de punição.
A brincadeira dos filhotes, é também como um treino para caça, envolvendo ataques surpresas e tocaias – (na vida selvagem, saber caçar significa sobreviver).

Os ataques dos filhotes envolvem morder e arranhar.

Se seu gato se excede nas brincadeiras de brigar com você (morde e arranha as mãos, dá bote nos pés), antecipe seus movimentos preparatórios para o ataque e impeça-o.

Faça um só barulho com uma lata com moedas. Ele será surpreendido e se assustará, frustrando o ataque.

Não dê atenção a ele por algum tempo, até ele se acalmar.

Não encoraje o filhote a brincar de morder sua mão, ou atacar suas roupas e cadarços de sapato.

Brinque com um brinquedo próprio para ele.
Fitas com algo na ponta são apreciadas pelos gatos.
Brinque sempre com seu gato, use brinquedos com movimento, exercite-o.

Assim ele irá dar vazão ao seu instinto de caça sem atacar seus pés e tornozelos.

Gatos que brigam quando um deles volta do Veterinário

É muito comum, gatos que convivem bem há anos, receberem com agressividade aquele companheiro que foi ao Veterinário.

O gato que volta do veterinário vem com cheiros estranhos.

É algo transitório, mas se for preciso, o ideal é mantê-los em quartos separados, trocando-os de quarto para que sintam o cheiro um do outro, até tudo se normalizar.

Gatos que ficam agressivos quando idosos

Se um gato demonstra comportamento agressivo sem nunca tê-lo sido no passado e sem que tenha havido mudanças no seu ambiente (território), é recomendado que passe por um bom exame veterinário.

Agressividade entre Gatos

Não ocorre por disputa de dominância, como nos cães, mas por disputa de território.

A maior parte dos gatos só estabelece seu território por volta dos 2 anos.

A disputa entre gatos pode ser territorial, agressividade redirecionada, ou medo.

Também pode ser “brincar de brigar”, como ocorre com os filhotes.

Esse tipo de comportamento é problemático para animais que vivem juntos dentro de casa.

O gato que foge do agressor, acaba estimulando a agressividade deste.

A agressão entre os gatos é um problema sério, algumas vezes insolúvel.

Às vezes é preciso manter os gatos em cômodos separados por todo o tempo.


Adaptado de http://www.becodosgatos.com.br/probcomporto.htm


Veja o vídeo:

 

 

 

-

GatoVerde em defesa dos Direitos Animais

-