Gatos, Grávidas e Bebês

Gatos tem audição e olfato muito mais apurados que os nossos.

Por isso, acompanham a gravidez da sua tutora desde o início.

Essa sensibilidade auditiva e olfativa pode provocar alguma mudança de comportamento.

Para evitar que isso aconteça, veja algumas dicas para preparar o gato para a chegada do bebê.

——-

Tenho um Gato e vou ter um Bebê!

Se você não quiser que o seu gato frequente o quarto do bebê nos primeiros dias, vá acostumando a não deixá-lo a entrar no quarto semanas antes do bebê nascer.

Depois, quando o bebê estiver dormindo, supervisione o passeio do gato por alguns minutos.

Ele vai se acostumar aos poucos com os novos cheiros e logo vai querer ficar junto do bebê.

Afinal, seu gato também esteve esperando o bebê nascer por nove meses, sentindo todos os cheiros das mudanças no seu corpo e ouvindo todos os sons que o bebê fazia no seu ventre.

 

Cuidados

 

O cuidado que uma mulher grávida deve ter, é o mesmo que todas as pessoas que tem um companheiro felino devem ter:

lavar bem as mãos após o manuseio da caixa de areia onde o gato faz suas necessidades.

Os animais de companhia devem estar sempre com a vermifugados e a vacinados.

É muito importante que o animal (macho ou fêmea) esteja CASTRADO pois a castração evita doenças, previne tumores e facilita o convívio.


 

Como preparar o gato para a chegada do bebê

 

As adaptações devem ser feitas aos poucos através de treinamentos algum tempo antes do bebê chegar.

Com a chegada de um bebê a rotina da casa se modifica.

A criança passa a ser o centro das atenções.

Com isso o gato pode ficar estressado, uma vez que mudanças nos hábitos da família ocorrem de forma repentina, sem que o animal consiga compreendê-las.

Para realizar as adaptações necessárias é importante agir de forma gradual e condicionar o animal através de treinamentos algum tempo antes da chegada do nenê:

– O gato não deverá associar a chegada do bebê com perda de espaços ou carinho.Assim, no caso de o animal não poder acessar livremente algum cômodo da casa depois que a criança chegar, o ideal é acostumá-lo com essa limitação ainda durante a gestação;

– Alguns gatos passam longos períodos no colo dos proprietários. É importante que ele seja acostumado a descansar em outros locais, já que o dono não poderá ficar com ele no colo por muito tempo. Forneça um local bem confortável e que agrade o gato, sem privá-lo do contato humano;

– Quando o bebê nascer, alguém deve ficar encarregado de trazer panos com o cheiro da criança para casa, colocando-os nos locais de uso habitual do bichano, tais como embaixo da vasilha de comida, ou na caminha. Desta forma, o gato deverá associar o cheiro do nenê a situações agradáveis;

– O choro ou movimentação do bebê poderão gerar reações no gato, como medo ou curiosidade. Neste caso o animal não deve ser punido ou ele vai associar o nenê com coisas ruins. Aja com naturalidade e prefira recompensar com elogios, petiscos ou carinho toda vez que ele se aproximar de maneira tranquila.

– Por mais calmo que seja o seu gato, essa aproximação e contato com a criança devem sempre ser supervisionados, para que tudo ocorra da forma mais segura e saudável possível.

.

Caroline Serratto, Zootecnista, escritora e adestradora

Fonte: http://guiadobebe.uol.com.br/como-preparar-o-gato-para-a-chegada-do-bebe/


OBSERVAÇÃO DO SITE

Muito se fala de uma doença erroneamente atribuída aos gatos, quando a forma de contágio mais comum e provável da toxoplasmose é através da ingestão de alimentos mal passados ou mal lavados. 

Se o seu(sua) médico(a) a aconselhou você a “se livrar” do seu gato por estar grávida, imprima artigos de especialistas (médicos infectologistas e médicos veterinários) e leve para seu(sua) médico(a). Ou “livre-se” do(a) seu(sua) médico(a).

Veja artigos de Especialistas:

http://www.gatoverde.com.br/caes-gatos/toxoplasmose/

 

 

Gato Verde, em defesa dos Direitos Animais